IMG_3212-0.jpg

Água marciana possível graças a Raoult

Algo que aprendemos ainda no ensino médio é destaque na mídia nesta semana. O anúncio de que existe a água líquida em Marte trouxe a famosa lei de Raoult para os jornais.

  

De acordo com a termodinâmica, não é possível a existência de água no estado líquido nas condições de pressão e temperatura de Marte. A pressão atmosférica média no planeta é de cerca de 600 Pa – bem menor do que a pressão de vapor da água na temperatura ambiente dos locais onde ela foi vista no estado líquido.

  
Então, como justificar a sua presença? O segredo está no sal: a elevada concentração de íons dissolvidos na fase aquosa, tal como previsto pela lei de Raoult, diminui drasticamente a pressão de vapor exercida pela água. Desta maneira, o líquido pode ser termodinamicamente estável mesmo nas condições de p, T marcianas.

  

De acordo com o antigo professor da Universidade de Grenoble, François-Marie Raoult (1830 – 1901), a adição de solutos deprime a pressão de vapor do solvente. O que foi observado em Marte,  uma solução extremamente concentrada de sais, tem uma fração molar do solvente muito pequena;  logo a pressão de vapor é bem menor do que a atmosférica de Marte, permitindo a existência da fase líquida.

Veja vídeo:

Saiba mais em:

https://www.nasa.gov/press-release/nasa-confirms-evidence-that-liquid-water-flows-on-today-s-mars

Canal Fala Química

Posted in Maravilhas da Química, Sala.de.Aula and tagged , , , .