IMG_2713.JPG

Do nariz direto para o cérebro

Uma nova forma de entregar drogas para o sistema nervoso central usa dendrímeros para envolver as moléculas hidrófobicas.

 

Um dos grandes desafios para a liberação de drogas no cérebro é a barreirahematoencefálica: como a maior parte das moléculas terapêuticas são lipofílicas, acabam aderindo a albuminas e não conseguem atravessar a complexa rede de vasos capilares que filtram o sangue que chega ao cérebro. 

Por isso, muitos fármacos tem excesso da droga, para que um nível plasmático elevado aumente a concentração no cérebro, o que aumenta os efeitos colaterais indesejados no resto do organismo.

  
Em um trabalho inédito, a via nasal foi utilizada como acesso direto ao sistema nervoso central: a droga hidrófobica foi envolvida no interior de dendrímerosanfifílicos – polímeros sintéticos extremamente ramificados, com núcleo hidrófobico e corona hidrofílica.

  
Como são compactos com 10 nm de diâmetro, os dendrímeros passam pela barreira e levam a droga ao cérebro, de maneira 100 vezes mais eficaz do que por via oral.

Veja artigo em

http://pubs.acs.org/doi/full/10.1021/acs.molpharmaceut.5b00402
Canal Fala Química

Posted in HotPapers and tagged , , , , , .