Afrodisíacos: mitos e verdades

AFRODISÍACOS: mitos e verdades sobre a química do SEXO

Afrodisíacos: mitos e verdades

Afrodisíacos: mitos e verdades

Afrodisíaco” é  “droga ou agente que estimula ou aumenta as respostas sexuais” e “que desperta desejo sexual“. Canal Fala Química apresenta um olhar da ciência sobre os afrodisíacos: o que é mito, o que é fato e quais são as substâncias que, comprovadamente, atendem ao menos uma das definições para este verbete.

1) ETANOL [FATO]
Uma das primeiras substâncias utilizadas como afrodisíaco foi o álcool. Terence, no livro Eunuchus, disse: “Sine Ceres et Libero friget Venus“, isto é, sem comida e vinho não há sexo. Em um estudo publicado na revista Nature, em 1994, ficou demonstrado que a ingestão de pequenas doses de álcool aumenta o nível de testosterona (o hormônio masculino) na mulher – isto, sem dúvida, aumenta o desejo sexual feminino.

Venus, Cupid, Baccchus e Ceres

Venus, Cupid, Baccchus e Ceres

Além disso, o álcool pode reduzir a ansiedade e libertar as inibições morais e culturais, deixando o casal com menos restrições ao sexo. Isto, porém, é tudo o que a ciência diz sobre o álcool como afrodisíaco. Se a dose for alta, entretanto, o efeito é o oposto: o álcool causa impotência sexual.

 

2) PRATOS EXÓTICOS  [MITO]

Muitos pratos exóticos  têm, segundo a cultura popular, poderes afrodisíacos. Entre estes, figuram  principalmente os frutos do mar. Mas há iguarias extremamente estranhas, tal como o sangue de cobra, pênis de certos animais (o filósofo grego Hipócrates receitava o pênis de animais não somente para a libido mas, também, para picadas de cobras), o feto de porcos e vacas, testículos de veado, urina de vários animais, incluindo o elefante. O chá de pinhas de pinus também, segundo a crença, tem estes poderes.

Sopa com testículos de veado

Sopa com testículos de veado

A regra geral é que quanto mais caro e mais exótico for o alimento, mais pessoas acreditam em seu poder afrodisíaco. Há, entretanto, representantes desta área em espécies mais comuns, como o amendoim, o côco, o pinhão, a uva, entre outros. Não há nenhuma evidência de que qualquer uma destas iguarias (exóticas ou não) tenham efeitos sobre o apetite e performance sexual.   

sopa de pênis de tigre em Taiwan

sopa de pênis de tigre em Taiwan

Uma panela de sopa de pênis de tigre, por exemplo, custa $350 em Taiwan – eles acreditam que é um dos mais poderosos afrodisíacos do mundo!

3) FÁRMACOS contra IMPOTÊNCIA [FATO]

Algumas drogas têm, comprovadamente, efeito sobre a impotência masculina. A primeira droga que foi reconhecida pelo FDA como possuidora desta propriedade foi o ácido 3-hidroxi-2-(3-hidroxi-1-octenil)-5-oxo-ciclopentaneheptanóico, popularmente conhecido como alprostadil, aprovado no dia 6 de julho de 1995 pelo FDA, e fabricado pela Upjohn Company, sob o nome de Caverject.

Alprostadil

Alprostadil

O inconveniente era que esta droga deveria ser injetada, com uma seringa, no pênis, minutos antes da relação sexual. A droga dilata o corpo cavernoso, permitindo uma maior entrada de sangue no pênis e a consequente ereção.

Sildenafil (viagra)

Sildenafil (viagra)

Pouco tempo depois foi lançado o Viagra, também aprovado pelo FDA e produzido pela Pfizer, que além de possuir maior eficácia, era de ingestão oral – melhor do que o Caverject, que tinha que ser injetado. Hoje existem várias drogas similares, com menos efeitos colaterais.

4) RAIZ de GINSENG [MITO]

A palavra Ginseng significa “raiz do homem“, e foi usado como um rejuvenescedor e revigorante na China, China, Tibet, Coréia, Indochina, and Índia. Sua forma lembra uma figura humana.

Raiz de Ginseng

Raiz de Ginseng

A raiz, de fato, é ligeiramente estimulante, tal como o café. Segundo o FDA, entretanto, não existe nenhum dado científico que consiga associar ao extrato da raiz qualquer efeito afrodisíaco.

5) OSTRAS e MARISCOS [MITO]

A Afrodite, a deusa do amor segundo a mitologia grega, ou Venus segundo a romana, nasceu do mar – daí a razão de muitos frutos do mar serem ditos afrodisíacos.

Sandro Botticelli - O nascimento de Venus

Sandro Botticelli – O nascimento de Venus

 

Muitos afrodisíacos obedecem a “lei da similaridade“: as pessoas acreditam que um objeto que lembra a forma da genitália pode trazer poderes sexuais. Daí vem o uso das ostras (e aqui em Florianópolis, também com os mariscos), entre outros. As ostras e mariscos lembram a forma da vagina feminina, caindo na “lei da similaridade“. Novamente, não há nenhuma prova científica que sustente o credo popular.

Ostras, mariscos e mexilhões lembram vagina

Ostras, mariscos e mexilhões lembram vagina

Concluindo, a grande maioria dos compostos e misturas tidos como afrodisíacos são cientificamente infundados. A cultura popular, entretanto, não aguarda os avanços científicos. Como, na maioria das vezes, a causa da impotência masculina é psicológica, a crença de super-poderes nestes produtos pode ajudar a reverter o quadro, e causar a ereção, em um clássico efeito placebo. Neste caso, basta ter fé, a composição química do produto pouco importa. Como diz um velho ditado, “O órgão sexual mais importante é aquele que fica entre as orelhas”. Use bem o seu!

Canal Fala Química

 

Posted in Maravilhas da Química and tagged , , , , , , , .